Um CLP é um sistema dotado de unidade central de processamento (ou CPU, central processing unit) projetada para controlar máquinas ou processos industriais, mediante programa criado pelo usuário. O emprego do CLP tem como principal objetivo substituir lógicas de controle industrial baseadas em relés e controladores individualizados, facilitando a manutenção e dando flexibilidade na modificação e na ampliação dos processos e das máquinas.

Os CLPs são compostos de três partes: CPU, entrada e saída.

CPU (ou controlador) – a CPU é o módulo responsável pelo processamento do programa criado pelo usuário;

Entrada – são todos os dados e sinais coletados do processo ou máquina industrial, relevantes à execução do programa criado pelo usuário. Esses dados e sinais são recebidos por meio de interfaces com o processo, como módulos de entrada digital ou analógica, comunicação serial e redes industriais. Podem-se citar como exemplo de entradas, sinais de limite fim-de-curso, dados provenientes de interfaces homem-máquina, leitura de códigos de barras etc.;

Saída – são todos os dados e sinais enviados ao processo ou máquina industrial, resultantes do processamento do programa do usuário pelo controlador, baseado na entrada e estados internos de memória. Esses dados e sinais são enviados à máquina ou processo, por meio de interfaces como módulos de saída digital ou analógica, comunicação serial e redes industriais. Podem-se citar como exemplo de saídas, comando para acionamento de bobinas de relés, acendimento de lâmpadas, dados mostrados numa interface homem-máquina etc.